ProBlogger: Isso é viavel em Portugal?

21 de julho de 2009
Há dias em que me farto do meu emprego. Ou será melhor dizer que em alguns dias o suporto?! Semânticas e reflexões individuais a parte, por vezes ponho-me a pensar se Portugal seria um pais onde um blogger profissional pudesse viver e prosperar.

Digo isto e não me estou a falar de jornalistas, ou escritores. Estou a falar de alguém como eu - mas não precisa de ser tão bem parecido - que decidisse investir numa posição on-line, e vivesse escusivamente disso. Dos seus posts, livros e patrocinios.

No caso americano lembro-me de um em particular: Trent Hamm, do The Simple Dollar. Ele decidiu seguir o caminho do empreendorismo - ou como se diz nos circulos da Web e de forma moderna entrepreneur - e usa o blog como uma forma de consultoria gratuita, cria os seus livros de conselhos financeiros e vende-os online por um valor quase simbólico. E com as visitas constantes no seu site, o próprio Google Adsense também deve gerar alguma receita.

E este foi um dos exemplos que me lembrei de momento. Outros podem usar a opção da posição online de forma parcial, mas mesmo assim conseguem ganhar algo, não abidicando do emprego, mas com um extra.

E a minha perspectiva é que Portugal não iria sustentar bloggers profissionais. Embora uma grande fatia dos portugueses, de acordo na estatisticas, têm acesso à internet, muitos deles apenas conhecem o hi5 e o MSN e nem sequer usam a internet para tirar partido da pesquisa, ou se informarem. Os que usam provavelmente não seriam suficientes para sustentar um sistema desses, ou então teriam sempre aquela desconfiança tipica do "Tuga".

Outro ponto relevante é o facto de eu não acreditar que em Portugal alguém esteja disposto a patrocinar esses géneros de blogs. Por muito boa publicidade que fizesse à Vodafone, à Fnac ou mesmo a outro tipo de empresa, duvido que eles quisessem pagar um servidor, uma ligação à internet ou mesmo uma quota em dinheiro para financiar um blogger. Afinal, eles tem serviços de marketing, e newsletters e tal, não é? Para que haviam de "sustentar" um Zé-Ninguém?

Se calhar é uma ideia errada minha e até podia tentar esse caminho. Eu sou um apaixonado da tecnologia, se conseguisse que me enviassem unidades de teste de computadores, smartphones, PDAs, Sistemas Operativos, etc. acho que levava uns dias bem mais divertidos.

Ou então, no pais da cunha como é o nosso, existiam lobbys para que disse sempre bem dos mesmos :)





7 comentários

  1. Aconselho-te a ponderares emigrar e arranjares um emprego em condições (isto é, se quiseres trabalhar mesmo :o)).

    Hugz,
    Luís

  2. ncoelho Says:

    Tens vários probloggers em Portugal....

    Apesar de o exemplo que tu deste não ser o melhor, os mais conhecidos são o shoemoney, o problogger e o johnchow, também por cá já temos alguns.

    Abraço

  3. Dash Raven Says:

    @Luis Miguel Silva

    Já me passou essa ideia pela cabeça.Mas a patroa tem um emprego muito bom e que ela adora :S
    Se calhar ficava como domestico e podia desenvolver os meus planos para dominar o mundo... ou pelo menos conseguir ter o jantar pronto a horas...

    @ncoelho
    O Darren Rowse é "o" problogger per si.O johnchow não conheço, mas o shoemoney também esta dentro do lote. Mas, na minha perspectiva, eu não podia dentro de 1 mês ou 2 atingir o estatuto deles. Ou pelo menos não ter a impulsão que eles tiverão. Dai ter dado o exemplo do Trent, que acho mais parecido com o meu caso.

    Já agora quais os probloggers portugueses? Desconheço alguém - não jornalista pelo menos - que seja blogger a fulltime com sucesso...

  4. Pronto, se a patroa tem um bom emprego que adora, talvez te aconselhasse (já que gostas de tecnologias) a tentar mesmo desenvolver projectos em casa e criares empresas startup :o)

    Caso contrário, não estou a ver outra forma de estares satisfeito com o que fazes neste país.

    Hugz,
    Luís

  5. Dash Raven Says:

    @Luis Miguel Silva

    Se calhar é mesmo a única hipotese neste pais a beira mar plantado. Essa ideia já me passou pela cabeça, mas nunca avancei nesse sentido. Neste momento a motivação está mais alta, é altura de passar mesmo a concretização.

    Enfim, tá na altura de virar "entrepreneur" :)

    Abraços

  6. Fica só com isto em mente! Uma empresa como a google NUNCA poderia ter sido iniciada em Portugal ;o)

    Não temos capacidade de visão e infraestrutura para o arranque!

  7. Dash Raven Says:

    Disso não há duvida, era impossivel algo assim tão grande, mas por ausênica de infraestruturas.

    Aocho que ao nivel de visão existem pessoas com capacidades para isso, e ao nivel do financiamento também existe muita gente com dinheiro para investir a espera de retorno.

    Contudo, acho que falta um pouco de coragem.

    Por exemplo, ainda no outro dia me ocorreu a ideia de um dispostivo que poderia ter sucesso no nosso pais e mundialmente. Houvesse investidores e pessoas interessadas e podia existir ai uma mina :)

Dash's Blog | Powered by Blogger | Entries (RSS) | Comments (RSS) | Designed by MB Web Design | XML Coded By Cahayabiru.com